Ir para o conteúdo

Flexibilidade no Trabalho: Benefícios para Atrair e Reter Talento

O que sabe sobre a flexibilidade no trabalho? Se associa este conceito apenas ao teletrabalho, leia este artigo para saber mais sobre benefícios de cada forma de trabalho, porque é que a flexibilidade laboral poderá ser uma boa estratégia para atrair e reter talento, e alguns exemplos de empresas em Portugal que já adotaram esta estratégia!

A maior exigência das pessoas no mundo laboral hoje em dia, leva a uma maior necessidade de se obter mais flexibilidade no trabalho. O ano de 2020, com a pandemia Covid-19, veio demonstrar isso mesmo. O teletrabalho tornou-se obrigatório, assistiu-se a uma maior ginástica na conciliação da vida pessoal e profissional, recorreu-se à flexibilidade de horários. Sem esquecer, claro, da adaptação interna das empresas às diferentes formas de trabalho.

Mais abaixo deixamos-lhe uma checklist muito útil para organizar o teletrabalho dos seus colaboradores. Venha daí 😄

modelo de avalicacao desempenho

O que é a flexibilidade no trabalho

A flexibilidade no trabalho é normalmente associada às noções de teletrabalho e flexibilidade horária. Todavia, este conceito vai muito mais para além disso. Hoje a tendência de flexibilidade laboral pode ser uma valiosa estratégia para atrair e reter talentos nas empresas.

Podemos descrever o conceito de flexibilidade laboral como a ação em que o empregador oferece a possibilidade aos seus funcionários de, total ou parcialmente, escolherem o momento, o local e a forma de trabalhar que lhes for mais conveniente.

A flexibilidade no trabalho implica que, na gestão de uma força de trabalho, não só as aptidões e competências das pessoas sejam priorizadas, em relação ao que podem dar durante o seu desempenho laboral. Hoje, as pessoas estão em primeiro lugar, o que mostra uma preocupação e ação proativa com o bem-estar delas.

Este recentramento permitiu oferecer alternativas que ajudem a conjugar as exigências da vida profissional e pessoal. Este caminho passa por proporcionar benefícios que façam com que a vivência do funcionário seja uma experiência única. Em última instância, esta compreensão da entidade patronal contribuirá para a redução do índice de rotatividade das pessoas numa empresa.

👉 Tem problemas de retenção de pessoas na sua empresa? Veja como calcular a taxa de turnover!

flexibilidade-no-trabalho

A confirmar esta maior exigência laboral, a consultora EY Global divulgou um relatório em que apresenta dados que mostram esta tendência. Cerca de 54% das pessoas empregadas na faixa etária considerada Millennial, ou seja, jovens talentos, considerariam deixar os seus empregos após a pandemia COVID-19, caso não existisse flexibilidade por parte das suas entidades empregadoras.

Tipos de flexibilidade no trabalho

A flexibilidade no trabalho em si, como quase em tudo relacionado com a gestão de pessoas, não possui fórmulas infalíveis. Na verdade, neste tipo de questões, o melhor caminho é sempre experimentar e desenhar estratégias de recursos humanos de acordo com cada empresa. Perceber a cultura empresarial, preferências de cada trabalhador ou equipa e dos valores da empresa.

De seguida exploramos alguns acordos que podem ser celebrados entre empregadores e funcionários, que apoiam este tipo de modalidade:

1) Teletrabalho

Já conhecido por todos os funcionários do mundo corporativo, o teletrabalho veio para ficar em muitas empresas globalmente. O que começou por ser uma obrigação movida por uma pandemia, hoje esta é uma opção que ainda está “em cima da mesa” para muitas empresas. O teletrabalho consiste, assim, na realização de uma atividade profissional fora do típico local de trabalho (escritório), possibilitando a execução das tarefas laborais às distância.

Esta forma de trabalho pode assumir diferentes modalidades, que variam de acordo com o tempo, o local e forma contratual acordada. Pode ser feito em casa, num co-work, num café, biblioteca, enfim, em qualquer sítio do mundo.

👉 Preparámos uma Checklist para organizar o teletrabalho dos seus funcionários [Modelo para download].

2) Trabalho híbrido

Sem dúvida que esta é a modalidade predominante, e que mais cresce a cada dia. O que começou como uma tendência em recursos humanos, hoje tornou-se a realidade de milhares de empresas.

Segundo dados próprios, mais de 60% das empresas espanholas oferecem este tipo de benefícios como estratégia para atrair e reter talentos. Empresas, essas, de setores tão diversos como a área da tecnologia ou telecomunicações.

O trabalho híbrido implica a criação de um contrato de teletrabalho, caso a carga horária do trabalhador fora dos escritórios ultrapasse mais de 30% das horas de trabalho. Contudo, a forma como é realizada esta forma híbrida de trabalho fica ao critério de ambas as partes. Pode ser acordado, por exemplo, dois dias de presença no escritório e três dias à distância , ou vice-versa.

3) Horário flexível

O horário flexível refere-se ao contrato de trabalho em que o trabalhador tem a liberdade de escolher quando começa e termina o seu horário de trabalho. A condição é que o total das horas trabalhadas esteja de acordo com a lei do trabalho, do contrato e tipo de trabalho estabelecido.

O que significa isto em termos práticos? O trabalhador, em vez de entrar às 9h e sair às 18h, pode optar por trabalhar num outro horário. Das 11h às 20h, fazendo as 8h laborais, mais 1h de almoço, por exemplo. Num outro dia da mesma semana, poderá entrar às 8h e sair às 17h.

Esta flexibilidade horária pode também incluir a extensão de horário num dia de trabalho, e reduzi-las no seguinte. Em todos os casos, o funcionário deverá ter sempre em consideração os compromissos laborais, e não ultrapassar as horas mensais de trabalho acordadas.

O horário flexível pode ser especialmente útil para pessoas que têm diferentes compromissos ao longo do dia. Especialmente no caso de pessoas com dependentes, que tenham de viajar em trabalho, ou tenham de fazer longas distâncias entre o escritório e a suas casas.

👉 Leia também este artigo sobre Horários Flexíveis: regras [+modelo].

4) Semana de trabalho de 4 dias

Uma outra forma, cada vez mais popular, de flexibilidade no trabalho é a de redução de dias de trabalho em troca de mais horas diárias trabalhadas. Isto é, ter uma semana de 4 dias de trabalho e 3 dias de descanso. Este tipo de contrato contempla um horário de trabalho padrão (por exemplo, 40 horas semanais). No entanto, os dias trabalhados não são distribuídos de forma tradicional (de segunda a sexta-feira), mas sim mais reduzida.

Na grande maioria dos casos, esta condensação de dias trabalhados tem a condição de que cada dia de trabalho de 8h pode ter, apenas, uma extensão máxima de 2h. Uma outra forma é manter as oito horas diárias, mas o salário ser reduzido proporcionalmente.

O principal benefício que se extrai com esta metodologia de trabalho é ganhar um final de semana de três dias. Isto permite que o trabalhador dedique mais tempo ao lazer e à vida pessoal. Esta forma de trabalho contribui, entre outros fatores, para a produtividade e aumento de satisfação do trabalhador.

teletrabalho

5) Viagens de Negócios ou “Workations”

Este tipo de flexibilidade de trabalho permite um regime híbrido entre a combinação de tempo livre com as horas dedicadas à vida profissional. É semelhante ao que entendemos por “viagens de negócios”.

Mas como assim? Vamos explicar-lhe de seguida. Este modelo de trabalho implica que o trabalhador faça a sua própria gestão da vida laboral fora do escritório, mais concretamente, a viajar. As viagens podem ser dentro ou para fora do país, e os custos ficam a cargo da empresa. Há ramos profissionais que estão naturalmente sujeitos a este modelo de trabalho, pelas características inerentes à profissão em específico. Quem trabalha no ramo comercial tem mais possibilidades de usufruir deste tipo de flexibilidade no trabalho.

No entanto, esta flexibilidade não determina unicamente que a pessoa nunca se desloque ao escritório. O trabalhador pode, claro, manter este nível de atividade quando também está no escritório. O principal benefício é poder retirar o máximo partido dos períodos de baixa atividade comercial, especialmente em setores que dependem fortemente da sazonalidade.

6) Trabalho Repartido

Este tipo de flexibilidade no trabalho pode ser considerado um caminho inusitado. Por quê? Depende muito da sua implementação e do que ditar a legislação de RH. Em poucas palavras, trata-se de empregar duas pessoas em regime de contrato part-time, para a realização de atividades que uma só pessoa poderia realizar num contrato de full-time.

A principal vantagem para os funcionários desse tipo de regime é conseguir-se mais tempo livre para assuntos pessoais. Além desta, outro benefício é a conjugação de diferentes trabalhos. Já para as empresas, os custos de gestão podem ser reduzidos significativamente. Este tipo de flexibilidade no trabalho também pode ser benéfico para os empregadores quando um dos funcionários está ausente. Fica, assim, mais fácil recorrer a outra pessoa para o cumprimento das funções.

Fazer corretamente estes ajustes na repartição de trabalho depende da possibilidade do trabalho em causa poder ser dividido. Uma boa comunicação interna e de gestão de RH são extremamente necessárias para evitar qualquer tipo de sobreposição entre as duas funções. Além de que é preciso haver um bom sistema de gestão de turnos.

Benefícios da flexibilidade no trabalho

Agora que já explorámos os diversos tipos de flexibilidade laboral, é o momento de perceber alguns benefícios dos diferentes tipos de regimes não convencionais. Mas, sobretudo, se é ou não vantajosa a implementação destas políticas empresariais e de gestão de recursos humanos para a atração e gestão de talentos. Cada empresa é diferente e tem necessidades específicas. Vamos conhecê-las! 🚀

1) Redução da rotatividade

Talvez uma das vantagens mais salientes é exatamente a redução da taxa de rotatividade dos colaboradores de uma empresa. Quanto maior for a flexibilidade e compreensão do empregador face aos desafios de hoje de um funcionário, maior será a chance de atrair e reter os seus talentos.

Este é fator fundamental e determinante na altura de garantir o crescimento sustentado das empresas. E é, talvez, o principal motivo que faz com que uma pessoa mude as suas preferências em favor da permanência no seu posto de trabalho.

2) Redução do stress

Sem pressões a toda a hora, sem a necessidade de passar o dia todo “sentado na cadeira” porque assim tem de ser, sem ser cronometrado por cada tarefa que cumpra. A flexibilidade no trabalho oferece uma compreensão pela carga de trabalho e melhor gestão horária do dia a dia.

Chegar ao escritório às 9h05 ou às 9h55 deixou de ser motivo de justificação constante. Esta melhoria significativa na gestão de tempo produz a redução de stress na vida profissional. Mas não só, proporciona também um clima e motivação mais favoráveis para cada pessoa cumprir as suas obrigações.

trabalho remoto

3) Aumento da produtividade

Talvez um dos benefícios e argumento mais relevante que podem convencer os gestores a adotar este regime de trabalho é, efetivamente, a melhoria da produtividade. As pessoas que desejam crescer e permanecer nas suas empresas, e que trabalham não só por necessidade mas sobretudo por prazer, entregam melhores resultados de eficiência e eficácia.

A produtividade não significa apenas trabalhar bem. A produtividade é, sim, fazer mais e melhor em menos tempo. Com a motivação e empenho certos, um regime de flexibilidade no trabalho pode ser determinante para subir a produtividade de cada trabalhador.

Empresas com regime de flexibilidade no trabalho

De acordo com um estudo publicado pelo The World Economic Forum, 48% dos trabalhadores nos Estados Unidos optarão, após que termine totalmente a pandemia do Covid-19, por empregos em que possam escolher entre teletrabalho ou um modelo híbrido. Esta tendência, que se replica globalmente, faz com que cada vez mais organizações optem por oferecer modalidades de emprego que contemplem esta flexibilidade laboral.

A American Express adaptou-se às novas exigências laborais, e oferece agora aos seus funcionários um modelo de trabalho mais flexível. Apesar de ter uma força de trabalho com mais de 50.000 funcionários mundialmente, a empresa tem oportunidades que variam de acordo com o tipo de contrato oferecido. Seja part-time, full-time ou presencial/teletrabalho.

Por sua vez, a Colgate-Palmolive, gigante no setor dos cosméticos e produtos de higiene pessoal, também colocou o foco nas preferências dos seus colaboradores. Hoje, esta empresa oferece benefícios que em muito ajudam à flexibilidade no trabalho. É exemplo a flexibilidade na gestão de horários e criação de creches nas instalações da empresa.

Finalmente, a gigante tecnológica Dell adotou recentemente uma estratégia de trabalho híbrida e remota. No total, quase 60% de toda a sua força de trabalho trabalha inteiramente em teletrabalho ou combinando dias presenciais e de teletrabalho.

Que empresas encontramos em Portugal com flexibilidade no trabalho?

Quando procura uma empresa em Portugal que ofereça todos os benefícios indispensáveis para si, a lista é encurtada imediatamente. Especialmente as que permitem flexibilidade no trabalho. A cultura tradicional em que muitas empresas ainda estão embrenhadas, leva a que as preferências e comodidades das pessoas não sejam levadas em conta. A boa notícia é que o paradigma está a mudar. Fomos em busca de algumas empresas em Portugal que introduziram a flexibilidade no trabalho 🔍. Deixamos-lhe, abaixo, alguns exemplos por setor:

Tecnologia e Inovação:

  • SAP
  • Capgmenini Egineering
  • BOLD by Devoteam

Recursos Humanos:

  • Aka People
  • Elevus
  • HRB Solutions

Finanças e Consultoria:

  • BNP Paribas
  • Cofidis
  • EY

Consumo:

  • Grupo Nabeiro
  • Nestlé
  • Sumol+Compal

Retalho e Comércio:

  • Calzedonia Group
  • Carglass
  • Aldi

Estes são alguns exemplos de empresas em Portugal que já aplicam esta estratégia de flexibilidade no trabalho, seja através de um horário flexível, seja através da escolha individual do colaborador em que local e a que horas decide trabalhar.

A flexibilidade no trabalho dada aos funcionários está posicionada hoje como o teletrabalho esteve em momentos pré-pandemia. Com isto queremos dizer que esta é, ainda, uma realidade que está a demorar a ganhar confiança dos empregadores. Os benefícios são cada vez mais claros e comprovados.

A aposta neste regime de flexibilidade no trabalho tem, no entanto, vindo aos poucos a ganhar mais popularidade. Por isso, esta é uma excelente ferramenta para reter talentos nas empresas. E, claro, torna-se a peça-chave que permitirá a melhoria da qualidade de vida e satisfação das pessoas numa empresa.

Ferramentas para implementar o teletrabalho

Conforme pudémos ver, não há dúvidas de que a flexibilidade no trabalho traz inúmeras vantagens para as empresas. Ainda assim, implementar um modelo de trabalho híbrido tem sido o maior desafio dos gestores e dos profissionais de RH. 

Um dos entraves e problemas verificados é a digitalização de tarefas diárias, pois garantir a continuidade dos processos não é simples. Por isso, contar com a tecnologia torna-se essencial. Hoje, existem muitos softwares e ferramentas capazes de digitalizar e simplificar atividades do dia a dia. 

Uma dessas opções é o software da Factorial, que pode ser testado gratuitamente por 14 dias. Com ele é possível:

  • Acompanhar os turnos de trabalho
  • Monitorizar horas de trabalho à distância
  • Gerir ausências e licenças
  • Saber quem está em teletrabalho ou no escritório
  • E tanto mais!

Delegar as suas tarefas diárias e de gestão de processos internos está cada vez mais fácil. Experimente a solução de software da Factorial, totalmente adaptada às suas necessidades. Sinta a diferença na rapidez e facilidade de centralização de documentos e processos com uma só ferramenta.

✅ Implemente a Factorial para a gestão de talentos na sua empresa. Saiba como aqui.

Este artigo também está disponível em: Español, Mexican

Ana Matos é Content Manager da Factorial para o mercado português. Licenciada em Ciências da Comunicação e Mestre em Marketing, dedica-se à criação, produção e gestão de conteúdos digitais em diferentes formatos desde 2017. Depois de alguns anos a trabalhar em agências de Comunicação e Marketing, especializa-se agora na área de Recursos Humanos & Tecnologia.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

Recursos semanais para profissionais de RH.

Inscreva-se em nosso boletim semanal e receba as últimas tendências, dicas e recursos para os profissionais de RH.

Ao subscrever, está a aceitar o processamento dos seus dados para receber as informações solicitadas. Política de Privacidade