Ir para o conteúdo

Hard skills e soft skills: o que são, diferenças e exemplos

hard skills

Hard skills e soft skills são conceitos muito utilizados na hora de recrutar os melhores talentos. Conheça, neste artigo, o que significa cada um destes termos, quais as principais diferenças entre si e alguns exemplos.

O mundo empresarial está cada vez mais competitivo. Esta evolução do mercado é traz mudanças de paradigmas no que concerne à contratação de novos colaboradores. As hard skills deixaram de ser um dos fatores mais avaliados no processo seletivo, para dividir a sua importância com as softs skills.

Por outro lado, a retenção de colaboradores tem vindo a tornar-se cada vez mais difícil. Sendo esta uma prioridade nas organizações, o processo de recrutamento tem de ser o mais eficaz possível. Por isso, as hard skills e as soft skills voltam a ser uma pauta neste processo. Saiba tudo sobre o assunto a seguir!

Tabela de Conteúdos

Hard skills: o que são?

Quando um potencial colaborador se encontra em processo de recrutamento, são avaliados uma série de parâmetros. Um deles são as hard skills que, de forma simplificada, representam as competências técnicas que um dado profissional tem para desempenhar a sua função.

Não irá contratar um gestor financeiro que não domine os números, certo? Um professor que não saiba o conteúdo que ensina. Ou até mesmo um programador que não percebe de linguagens de programação.

Podemos então afirmar que as hard skills são competências fáceis de avaliar e quantificar. Estas são aprendidas através da leitura de livros técnicos, em formações específicas, experiência prática e outros métodos. Não esquecendo que a prática é fundamental para a melhoria e evolução deste tipo de competências.

performance

Soft skills e hard skills: diferenças

Por outro lado, as soft skills são competências muito difíceis de quantificar e medir. São também conhecidas por “capacidades interpessoais”. Isto é, a habilidade de relacionar e interagir com outras pessoas. Num clima organizacional que cada vez mais caminha para o foco na satisfação dos colaboradores, é importante a criação de equipas com boas soft skills.

👉 Leia mais sobre quais são as “soft skills” de um funcionário e por que são tão importantes?

Apesar de serem competências diferentes, as soft skills e as hard skills devem ser avaliadas com o mesmo grau de importância. É tão importante que o seu colaborador tenha o conhecimento técnico necessário para a execução da sua tarefa, como também se saiba relacionar com os restantes membros da equipa. Afinal, nenhum empregador quer ter um profissional excelente, a nível técnico, que fomenta um mau ambiente de equipa, e vice-versa.

O sucesso nesta fase do processo, vai permitir que, posteriormente, as estratégias de retenção se tornem mais acessíveis à empresa, reduzindo a rotatividade e aumentando a produtividade dos colaboradores.

Exemplos de hard skills

Por norma, as hard skills são aquele tipo de competências que são listadas no currículo, por forma a serem facilmente reconhecidas pelo empregador. Eis alguns exemplos de hard skills:

  • Proficiência em determinadas línguas estrangeiras (as mais comuns: inglês, espanhol, francês);
  • Conhecimento avançado de excel;
  • Manuseamento de máquinas específicas;
  • Proficiência em programação;
  • Gestão de stocks e inventários;
  • Conhecimentos de edição de vídeo e imagem.

Lembre-se que a lista de competências técnicas é tão grande quanto o número de tarefas que existe em cada profissão. Cada cargo subentende conhecimentos técnicos diferentes. Além disso, a avaliação deste tipo de competências é muito fácil de concretizar. Basta pedir um portfólio, a concretização de um desafio prático ou até fazer a entrevista numa língua que não a nativa. O método a implementar depende da hard skill que pretende avaliar.

Exemplos de soft skills

Diferentemente das hard skills, as soft skills relacionam-se com caraterísticas dos indivíduos. Fique a conhecer alguns exemplos:

  • Proatividade e espírito crítico;
  • Eficácia e eficiência na resolução de conflitos;
  • Competências de comunicação;
  • Capacidade de persuasão;
  • Empatia e espírito de entreajuda;
  • Capacidade para trabalhar sob pressão;
  • Aptidão no atendimento ao cliente.

⬇️ Utilize o modelo de Matriz de Competências para mapear as hard skills e soft skills de cada cargo

matriz de competencias

Como incluir e avaliar as hard skills no processo de recrutamento?

As hard skills estão, por normas, descritas nos currículos dos candidatos. Contudo, se está à procura de competências técnicas muito específicas, deve logo especificá-las no texto que acompanha a descrição da vaga.

Procura, por exemplo, alguém com conhecimentos de design, em softwares específicos? Escreva-os na vaga. Ao incluir tudo aquilo que pretende na descrição da oferta de emprego, conseguirá filtrar os candidatos de forma mais rápida e eficaz.

Por outro lado, lembre-se que cada vez mais os indivíduos são agéis e polivalentes, tendo altas capacidades de aprendizagem e a adaptação a novas realidades e programas. Não descarte um profissional sem avaliar também as suas habilidades interpessoais e analisar se será um indíviduo que, a curto prazo, se tornará mais qualificado do que um que já domine todas as hard skills que procura.

Pode e deve ainda lançar desafios práticos aos seus candidatos, de modo a verificar se as hard skills que apresentam no seu currículo correspondem, de facto, à expetativa da empresa. Crie um desafio fictício, defina um prazo e envie-o para todos aqueles que considera potenciais candidatos ao cargo em recrutamento.

📋 5 Testes Psicotécnicos principais no Recrutamento [+ Modelo]

Como fomentar o desenvolvimento das hard skills e das soft skills?

Se trabalha nos recursos humanos de uma empresa, é importante incentivar o desenvolvimento das hard skills e das soft skills dos seus colaboradores. São dois tipos de competências que devem ser trabalhadas ao longo dos anos, ainda que as primeiras sejam mais fáceis de o fazer.

Dicas para desenvolver as hard skills

As hard skills devem ser trabalhadas de forma contínua, seja adquirindo o conhecimento, seja colocando-o em prática. A melhor forma de os seus profissionais desenvolverem as competências técnicas é através de formações.

Em primeiro lugar, deve proceder à avaliação de desempenho dos seus colaboradores, incluindo a monitorização de tarefas concretizadas. Ao fazer este passo, conseguirá perceber quais os pontos fortes e os pontos fracos das suas equipas. Depois, se algum dos pontos fracos se relacionar com a ausência de competências técnicas, deverá procurar formações específicas que visem munir o colaborador do conhecimento em falta.

📚 Leia avaliação de desempenho individual: como fazer a autoavaliação?

Em segundo lugar, procure formar os colaboradores nas competências que realmente farão falta para a concretização eficaz das tarefas. De nada adianta dar formação num software todo xpto se o mesmo não fizer parte do dia-a-dia do colaborador.

Em terceiro lugar, confira se os seus colaboradores estão a aplicar o conhecimento adquirido. É importante ir avaliando e monitorando estas competências ao longo do tempo, identificando possíveis pontos de melhoria.

Assuma ainda uma posição de escuta ativa e perceba se existe algum tipo de formação que os seus colaboradores gostassem de frequentar. Por vezes, apenas os próprios profissionais que executam uma dada tarefa são capazes de identificar pontos de melhoria e como corrigi-los.

Desenvolver as soft skills dos seus colaboradores

Numa primeira análise pode parecer uma missão impossível, mas não é. Fomentar o desenvolvimento das soft skills dos seus colaboradores é uma tarefa fácil e prática, assim como no caso das hard skills.

O primeiro passo para o conseguir fazer, é garantir que os colaboradores da sua empresa se encontram motivados, satisfeitos e felizes. Ao “vestirem a camisola”, os colaboradores terão mais facilidade na comunicação, na empatia, na responsabilidade, entregando mais do que aquilo que é esperado deles.

O segundo passo, é criar um ambiente de trabalho onde haja abertura para novas ideias e críticas construtivas. Valorize a opinião da sua equipa. Afinal de contas, trabalham todos para o mesmo objetivo.

O terceiro passo, mas não menos importante, é incentivar a que os seus colaboradores enfrentem novos desafios e experiências. Tudo isto ajuda no desenvolvimento das competências interpessoais dos seus colaboradores. Por exemplo, se promover teambuildings, fomenta o espírito de equipa e entreajuda.

Poderá também optar por definir um plano de progressão de softs skills para cada colaborador. Ao definir esse plano, identificando as mais importantes, pode procurar workshops e formações focadas em dicas de comunicação, em estratégias para desenvolver o sentido crítico e a proatividade dos seus colaboradores, ou qualquer outra área que considere importante investir.

hard skills exemplos

Quais são as hard skills mais importantes num profissional de RH?

Antes de avaliar e escolher qualquer colaborador para a sua empresa, deve garantir que a sua equipa de recursos humanos tem algumas skills fundamentais. Só assim a sua equipa conseguirá exercer a suas tarefas de forma exímia. Fique com alguns exemplos de hard skills que deve assegurar que os rh tenham:

  • Escuta ativa: estes profissionais devem ter competências de comunicação e também de escuta. É preciso ouvir os colaboradores. Quais são as suas necessidades, as suas críticas construtivas, os seus problemas.
  • Habilidades de negociação: é aos recursos humanos que chegam a maior parte dos pedidos por parte dos colaboradores. Sejam pedidos de ausência, aumentos salariais, benefícios extra, conflitos internos. Os profissionais de rh têm de conseguir gerir pessoas, mediar conflitos e apresentar soluções alternativas.
  • Gestão de talentos: não quer que os melhores talentos sejam recrutados para a sua empresa e que depois não permaneçam na mesma, certo? Para isso, precisa de rodear-se de uma equipa de recursos humanos capaz de identificar, reconhecer, gerir, desenvolver e fomentar talentos.
  • Empatia: a capacidade de se colocar no lugar do outro é fundamental para um profissional de recursos humanos. Ouvir, analisar e apresentar soluções.
  • Visão de marca/negócio: ao selecionar e gerir colaboradores, o profissional de recursos humanos tem de ter em mente os valores da empresa, bem como a sua reputação. É essencial contratar pessoas que vão ao encontro dos objetivos, valores e missão da empresa.

Use uma boa ferramenta de recrutamento e seleção

Se no processo de recrutamento e seleção dos seus colaboradores for capaz de avaliar as hard skills e soft skills, consegue fazer uma seleção mais rigorosa, que vá ao encontro das expetativas da empresa.

É, por isso, fundamental investir em tecnologias que lhe permitam automatizar processos. Com a Factorial, consegue fazer a gestão do processo de recrutamento do início ao fim:

  • Tem um portal de emprego atrativo e completamente personalizável;
  • De candidato a colaborador: o cliclo completo dos seus funcionários, junto com os documentos e informação pessoal fica disponível na plataforma;
  • Consegue criar formulários personalizados e adaptar o portal aos seus processos de recrutamento e seleção;
  • Guarda as informações de todos os processos, podendo usar para futuras posições.

Administrar processos de recrutamento e seleção e angariar candidatos qualificados torna-se, assim, uma tarefa rápida, fácil e eficaz.

Teste a Factorial durante 14 dias sem qualquer custo ou compromisso! Comece já hoje a melhorar os seus processos de recursos humanos!

Postagens relacionadas

Tem alguma dúvida ou sugestão? Partilhe-as na Comunidade de RH!

Esta é uma comunidade feita por si e para todos os profissionais de RH!

Recursos semanais para profissionais de RH.

Inscreva-se em nosso boletim semanal e receba as últimas tendências, dicas e recursos para os profissionais de RH.

Ao subscrever, está a aceitar o processamento dos seus dados para receber as informações solicitadas. Política de Privacidade