Ir para o conteúdo

Gestão de projetos: o que é e como criar um cronograma de implementação

Gestão de Projetos

Neste artigo apresentamos-lhe o que é a gestão de projetos, bem como ferramentas e metodologias para gerir projetos. Adicionalmente, mostramos-lhe como criar um cronograma de implementação em formato excel.

O bom planeamento de um projeto é a chave para o seu sucesso e, por isso, existem muitas ferramentas para realizar, melhorar e simplificar a gestão de projetos.

Os cronogramas são recursos muito utilizados no desenvolvimento de projetos ou atividades de uma empresa. Para além de rever os conceitos mais básicos desta ferramenta, dar-lhe-emos as chaves para criar o seu próprio e dicas para melhorar um.

Leia abaixo e descubra mais sobre como fazer uma gestão eficaz e eficiente de um projeto.

Tabela de Conteúdos:

software-rh-dp-360

O que é a gestão de projetos?

A gestão de projetos é o processo de planeamento, definição, execução e análise de um projeto. Para serem bem sucedidos, todos os projetos devem ser geridos por um líder de equipa. Este líder é a pessoa que ajuda a tomar decisões finais e organiza todo o projeto.

De seguida, entenda quais são as etapas da gestão de projetos e que ferramentas podem ajudar a que esta gestão seja mais organizada e otimizada.

Quais são as etapas para gerir um projeto numa empresa?

Quando falamos de processos internos nas empresas, não existem fórmulas mágicas que possam ser aplicadas globalmente e garantir resultados muito positivos em todos os projetos.

Cada projeto e cada equipa tem uma forma específica de atingir objetivos comuns, da maneira mais adequada e eficaz que for possível. Adicionalmente, é preciso ter em consideração os recursos disponíveis e como podem ser utilizados para o sucesso de um projeto.

No entanto, e em termos gerais, a gestão de projetos tem de seguir as seguintes etapas:

  1. Conceptualização e Início: Esta é a primeira fase de um projeto. A iniciação é a fase onde a ideia geral é criada. É aqui que são definidos objetivos, metas, recursos necessários e o gestor de projeto. Este gestor guiará os membros da equipa durante todas as fases do projeto.
  2. Definição e Planeamento: Esta é a fase onde se definem a amplitude e a estrutura do projeto. A ideia é também definida com mais pormenor e o gestor planeia todas as atividades, tarefas, responsabilidades e prazos necessários para o sucesso do projeto.
  3. Execução: Uma vez recolhidas todas as informações, é atribuído um orçamento e um prazo específico para a realização do projeto. Alguns ajustes são feitos e o projeto começa a ganhar vida e a ser executado. É aqui que os membros da equipa devem ser devidamente alocados às suas tarefas.
  4. Controlo e Monitorização: Uma vez iniciado o projeto, são estabelecidas etapas nas quais os resultados devem ser relatados Posteriormente, estes resultados devem ser analisados e monitorizados para que o gestor possa medir o desempenho e produtividade dos seus colegas.
  5. Encerramento do Projeto: Se tudo correr bem, após vários ajustes e modificações, o projeto deverá ser finalizado e divulgado dentro da empresa pela área de comunicação interna e externa (conforme for o caso).

👉 É um líder de projeto? Descubra aqui os tipos de liderança e escolha que líder quer ser!

Etapas de Gestão de Projetos

Metodologias para gestão de projetos

Agora que já sabe o que é a gestão de projetos e as suas etapas, está na altura de conhecer as metodologias que podem ser usadas para gerir projetos. Uma empresa deve utilizar a estratégia/metodologia de gestão que melhor se adapte à sua cultura empresarial, bem como ao orçamento que foi contemplado para o efeito, considerando a gestão das despesas.

Estas são as três metodologias de gestão que são mais utilizadas por gestores de projetos em Portugal.

1) Metodologia Agile

A metodologia Agile é uma das mais utilizadas, tanto na gestão de projetos, como nos departamentos de recursos humanos. Esta metodologia foca-se na otimização de recursos e concentra-se numa visão geral das tarefas a serem executadas.

Ainda assim, este método tem 4 princípios fundamentais pelos quais se rege:

  • Colaboração entre indivíduos;
  • Eficácia e rapidez;
  • Dinamismo;
  • Valorização dos indivíduos sobre os processos.

O Agile prioriza o uso inteligente do tempo; valoriza a flexibilidade e a adaptabilidade; e faz do princípio da “melhoria contínua” o seu foco principal.

👉 Quer conhecer outro método para a melhoria contínua? Leia o nosso artigo sobre o método kaizen!

2) Metodologia em Cascata

É sem dúvida um dos métodos clássicos e, talvez, o mais rudimentar e tradicional. Ainda assim é bastante eficaz no que diz respeito à gestão de projetos. Este tipo de estratégia é uma das mais rígidas e tem origem nos anos 70.

Ao contrário da metodologia Agile, a em Cascata foca-se na objetividade. Cada etapa do projeto está vinculada e, portanto, é interdependente. Isto significa que não pode avançar para o ponto C sem ter feito o ponto B, por exemplo. Dessa forma, uma vez iniciado um projeto, é muito complexo fazer alterações em tempo real.

No entanto, se for uma pessoa com uma visão clara e detalhada, e se o método for executado corretamente, o mesmo poderá dar resultados muito positivos.

3) Metodologia em Cadeia Crítica

Tal como a palavra indica, esta estratégia foca-se na priorização das tarefas que, pela sua natureza, impacto e implicações, são críticas para a conclusão de um projeto.

A grande vantagem desta abordagem é que permite minimizar as margens de erro e, portanto, é ideal utilizar quando um projeto tem acesso a recursos limitados, seja em termos de tempo ou dinheiro.

Ferramentas para coordenar projetos

As ferramentas que auxiliam a gestão de projetos são elementos fundamentais para alcançar a realização das diferentes tarefas. Existem plataformas especificamente desenhadas para este fim, assim como:

  • Programas Híbridos que possuem este tipo de funcionalidades;
  • Softwares mais genéricos que podem ser adaptados para este fim;
  • Modelos em Excel adaptáveis para gerir os seus projetos.

Ao escolher uma ferramenta para gerir projetos na sua empresa, deve saber que para isso é necessário ter em consideração que o espaço de trabalho deve permitir:

  • Planear e monitorizar os resultados num calendário de objetivos;
  • Integrar comunicações de forma colaborativa;
  • Centralizar a documentação importante e torná-la de fácil acesso;
  • Acompanhar, monitorizar e avaliar os resultados.

💡 Descubra o que pode a Factorial fazer pela gestão de projetos da sua empresa!

Cronograma de implementação para gestão de projetos

Nesta secção vamos apresentar-lhe o que é um cronograma de implementação, para que serve e quais os tipos de cronograma mais comuns na gestão de projetos. Leia abaixo!

O que é um cronograma?

A palavra “cronograma” vem de “chronos”, que significa tempo, e “gram”, que significa mensagem escrita. E, se a origem etimológica da palavra não deixou a sua definição muito clara, nós explicamos. O cronograma é uma ferramenta utilizada em muitas empresas para organizar e realizar a gestão de projetos.

Um cronograma é, simplesmente, uma lista de tarefas, com datas de início e fim, que pode ser mais ou menos completa; mais ou menos ampla; geral ou específica; e mais ou menos visual.

Idealmente, para além de uma lista de tarefas, o cronograma inclui também um calendário onde pode ver os dias que tem para concluir cada uma das tarefas planeadas.

Para que serve um cronograma?

Agora que já sabe o que é um cronograma, damos-lhe a conhecer os inúmeros benefícios que o mesmo traz enquanto ferramenta de gestão de projetos. Assim, um cronograma serve para:

  • Otimizar os processos de planeamento de projetos;
  • Simplificar a organização das atividades diárias, dividindo os projetos em pequenas tarefas com prazos específicos;
  • Motivar a equipa a ser mais produtiva, fornecendo metas alcançáveis ​​e mais específicas;
  • Antecipar possíveis atrasos em tarefas, o que normalmente causa um “efeito dominó” e acaba por atrasar o prazo do projeto;
  • Fornecer uma visão geral do status de todas as tarefas realizadas dentro do projeto, a velocidade de execução e sua evolução;
  • Estabelecer uma ordem de tarefas dentro de um projeto maior e com vários colaboradores;
  • Melhorar a comunicação interna entre colegas e equipas de trabalho, para que todos estejam cientes da fase do projeto em que cada um se encontra.

💡 Software RH para auxiliar a comunicação interna da sua empresa!

Tipos de cronograma

Existem diferentes técnicas, estratégias e teorias para se criar um cronograma de implementação na gestão de projetos. Deve utilizar aquele que se adapta às suas necessidades e às da sua equipa, e também aquele com o qual se sentir mais à vontade.

Os mais usados ​​são os seguintes:

  • Cronograma de Gantt: Neste cronograma, as tarefas são distribuídas com uma barra de tempo. Quanto maior a tarefa no tempo, maior a barra. É a solução mais visual e mostra facilmente a sobreposição entre as tarefas.
  • Cronograma de Pert: Este cronograma prioriza a relação entre as diversas tarefas do cronograma, em vez das suas datas de início e fim. As tarefas serão representadas por caixas, que se relacionam entre si por meio de setas. E dentro de cada caixa estão incluídos os processos necessários para realizar a tarefa específica. A ordem das caixas depende da prioridade dos projetos.
  • Cronograma de Marcos: Este tipo de cronograma inclui apenas as tarefas mais importantes para o projeto. E, agrupa-os de acordo com as datas de entrega, reuniões ou qualquer outro momento chave para o processo.

Tipos de Cronograma - Gestão de Projetos

Como fazer um cronograma de implementação em formato Excel?

Nesta secção, iremos detalhar as diferentes etapas para a execução de um cronograma de implementação de sucesso, seja ele qual for. Estas etapas são sempre as mesmas para qualquer tipo de cronograma. De seguida, apresentamos-lhe como criar o seu modelo.

Etapas para a execução de um cronograma de gestão de projetos

Estas são as 5 etapas para a execução de um cronograma:

  1. Divisão de Tarefas. Fazer a divisão de tarefas significa criar uma lista de tarefas necessárias, definidas pelos superiores de cada equipa. Ou, simplesmente, a divisão de um grande projeto em todas as tarefas necessárias para executá-lo.
  2. Definição de relações entre tarefas. Estes são os 3 tipos de relações entre tarefas:
    • Fim de uma conecta com o início de outra, se uma delas for dependente;
    • Início de ambas está conectado, se puderem ser feitas ao mesmo tempo;
    • Final de ambas está conectado, se tiverem que terminar ao mesmo tempo.
  3. Definição das datas de início e fim das tarefas. Esta etapa é fundamental, e é melhor defini-la tendo em consideração o prazo final de todo o projeto. Uma dica é que vá decidindo os prazos das tarefas, começando pela mais distante do dia de hoje e terminando com a mais próxima no tempo. No entanto, também é importante saber quanto tempo geralmente pode levar para realizar cada uma das atividades, de modo que o cronograma seja realista.
  4. Criação do cronograma. Quando quiser criar o cronograma, deve ter em consideração a dimensão do projeto e a definição de um responsável. A este responsável devem ser fornecidos os recursos necessários e um prazo específico para o projeto.
  5. Reajuste do cronograma sempre que necessário. O mais certo é que ocorram mudanças que tornem necessária a atualização do cronograma. Assim, podem e devem ser modificadas algumas datas, adicionadas certas informações e, ainda, eliminadas algumas tarefas.

💡 Gira turnos e defina as atividades do seu projeto com o Software de RH da Factorial!

Criação do cronograma

Vamos agora, explicar em mais detalhe a quarta etapa da execução de um cronograma, a própria criação do mesmo!

Quando um cronograma é feito a partir do programa Excel, as linhas e colunas são usadas para definir as tarefas a serem executadas. Aí estarão as informações relativas às datas de início e fim de tarefas; aos recursos que serão necessários ou alocados a cada tarefa; e aos responsáveis ​​por cada atividade.

Para além disso, é aconselhável deixar espaço suficiente para adicionar notas e informações adicionais durante o processo. Lembre-se do que dissemos acima: o cronograma vai precisar de ser reajustado.

A primeira versão não final do cronograma resultará numa tabela de “caminho crítico”. Esta tabela será, nada mais nada menos que, a sucessão de tarefas no tempo. Nesse momento, os recursos necessários para realizar o projeto e o responsável pelo mesmo não serão tidos em consideração.

Seguidamente, começaremos a incluir os recursos (pessoas envolvidas, documentos, etc.). Antes de terminar o seu cronograma, verifique que todos os recursos estejam bem estabelecidos e estruturados.

Por fim, o nosso conselho é alocar margens entre as datas mais importantes. Caso haja o risco de que uma das tarefas se atrase, é bom ter uma margem de tempo. Outra consideração fundamental é a das férias dos colaboradores deste projeto. Certifique-se de que os colaboradores conseguem cumprir os prazos do projeto que lhes foram atribuídos.

📄 Modelo Mapa de Férias: uma gestão mais fácil e organizada das férias da sua equipa!

E se quiser fazer um reajuste do cronograma?

Como dissemos acima, depois de definir um primeiro cronograma, vai, mais facilmente, identificar riscos e/ou erros que devem ser corrigidos. Estes erros podem estar relacionados com o orçamento, tempo, etc.

Ao reajustar o seu cronograma, irá encontrar não só a solução que melhor se adapta às suas necessidades, mas também poderá otimizar este processo até que seja o mais perfeito possível.

📄 Se, por outro lado, o que lhe interessa é acompanhar os objetivos atribuídos a cada um dos funcionários sob sua responsabilidade, pode utilizar o nosso modelo gratuito de Objetivos OKR.

Um software de RH que facilita a gestão de projetos

Um software de controlo e monitorização de projetos nas empresas substituirá o cronograma que terá que ser feito manualmente. Para além disso, usando este tipo de ferramentas mais sofisticadas, pode garantir que todas as suas equipas estão sincronizadas.

Todo o projeto será digitalizado num software de gestão de projeto, o que irá melhorar a comunicação interna entre equipas e a transparência.

O software da Factorial oferece a gestão de projetos integrada com outras ferramentas, como o Controlo Horário. Irá poder atribuir horas a cada Projeto, assim como Turnos, ou a funcionalidade Relatórios, de forma a reunir toda a informação necessária para análise.

A única coisa que os seus funcionários terão que fazer é alocar as suas horas de trabalho a um ou mais projetos. Enquanto gestor, poderá verificar as horas dispendidas por funcionário em cada tarefa e/ou projeto.

✅ Não perca mais tempo e otimize a sua gestão de projetos com o software da Factorial. Peça uma demonstração grátis do software ou experimente durante 14 dias, grátis e sem compromisso!

Este artigo também está disponível em: Español, Brasil, Mexican

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

Recursos semanais para profissionais de RH.

Inscreva-se em nosso boletim semanal e receba as últimas tendências, dicas e recursos para os profissionais de RH.

Ao subscrever, está a aceitar o processamento dos seus dados para receber as informações solicitadas. Política de Privacidade